segunda-feira, 27 de julho de 2020

VAMOS VER SE PODEMOS ENSINAR ALGO NOVO PARA ESSE PESSOAL.





André Luis fala uma grande verdade. Por que? Pelo motivo que estamos aqui. Que poucas ou nenhuma religião pode ou soube explicar, pois o interesse delas é serem sustentadas pelo dízimo ou pela caridade.
Qual é o objetivo do homem na Terra?
O que será que estamos fazendo aqui?
Servindo de boneco de estimação para um Rei sanguinário e sádico para que possamos dar alguma motivação para ele continuar existindo. Acho que muita gente vai acreditar nisso. É o mais fácil.
Para essa suposição temos a desgraça que o homem promove na Terra, e assim os assassinatos sem necessidade ou motivo, como o presidente sair pela rua contaminado com o corona vírus matando apoiadores, por que ele precisa estar na mídia. Ou então termos uma guerrilha ou uma guerra civil camuflada no Rio de Janeiro onde os grupos armados com armas de última geração se enfrentam nas vielas e onde a direita e a esquerdas executam a guerra fria de outros tempos testando se derem um golpe de Estado quem vai levar a melhor. E com isso os dois lados vivem de chantagem contra a vida da população e todos acabam pagando seguro de vida para poderem garantir que irão continuar vivos mesmo com as balas perdidas nos ouvidos deles.


Agora por favor percebam que se isso não acontecesse, nós seriamos meros programas de computador como das grandes empresas que regulam ar condicionado, fecham portas, apagam luzes e servem o cafezinho, para o raio do Deus, por que seriamos nós os robô e não os nossos serviçais. Veja como somos ainda escravagistas! Foi o que fizemos com os negros, eles eram encarados como robôs, não eram seres humanos, mas robôs que serviam para servir os deuses da elite econômica mundial. E isso era conveniente, pois assim não precisavam distribuir a riqueza que amealhavam, como fazem hoje pagando um salário aquém da necessidade de sobrevivência. Percebam que você fazem de Deus uma elite que é a que conhecem e que chamam de patrão por analogia e não por realidade. Ou atualmente de empresário e governante, esses são os Deuses de vocês. Não o Deus que nos criou.


Pensem! Se você que é pai deixa de comer um doce ou uma fruta para o seu filho comer ou compra achocolatado, latas e latas, mesmo sem gostar para dar a seu filho, por que Deus seria diferente? Não faz sentido. Veja o planeta tem tudo que o homem via necessitar na sua vida, seja para comer ou produzir. Quem fez a terra deu a todos meios de existirem, só não criou uma máquina de café para ser acoplada a cada ser humano para quando ele sentisse vontade de tomar um café apenas apertasse o botão onde estivesse ou acionasse o celular e a máquina viesse com o café quentinho na temperatura ideal para você se sentir rejuvenescido, para mais um dia coçando o saco. Ele fez você trabalhar para poder ter o café. Por que? Cara ruim, não? Mas vamos pensar.


Veja o homem em seu início, viveu em caverna, correto? Sim. Vamos comparar a um tatu. O tatu vive em caverna também. Mas veja a sacanagem. Nós encontramos a caverna aberta e o tatu teve que fazer a sua caverna. Oque o tatu é pior que nós para ser obrigado a trabalhar? E nós termos a moleza de encontrá-la pronta. Nada. Ele possuem uma mutação gênica que lhe permite cavar a terra e nós se fizermos isso, morremos com os dedos sangrando. Com isso eles são tão importantes para o planeta quanto nós. Mas vamos continuar com isso.


Hoje se formos a uma área que ainda tenha tatu. Que é algo raro para se encontrar. Principalmente em São Paulo, nem sei se no zoo paulistano tem. Faz muito tempo que não vou lá. Mas veja que legal ele, o tatu, continua cavando a sua casa e se enterrando na terra. E nós estamos vivendo em cavernas ainda? Não. Por que não? Ora isso é fácil, não tem caverna para todos. Piadinha.


Não vivemos em caverna por que evoluímos e amadurecemos. E assim aprendemos como construir moradia e dar conforto para a nossa vida, segurança e uma adaptação ás nossas necessidades primárias de subsistência. Exatamente o mesmo que o tatu faz ao se enterrar na terra. Construindo a sua casa. Qual a diferença entre eles e nós? Eles são PROGRAMADOS PARA FAZER ISSO, NÓS TEMOS QUE APRENDER A FAZER ISSO. O que isso demonstra? Duas coisas. Eu estou aqui para aprender e que tenho o livre arbítrio para resolver o que fazer que seja melhor.


Uma prova de livre arbítrio. Na corrida espacial russos e americanos competiam para chegar na Lua e poder tomar posse do satélite, vai que tudo aquilo era uma pepita de ouro ou um diamante sujo. Agora eles tinha uma necessidade de escrever no espaço. Mas veja a caneta funciona pela gravidade e no espaço isso não existe. Como resolver? Simples os americanos inventaram a caneta hidrocor e os russos usaram lápis. Por que os americanos não usaram o lápis. Simples, por que se eu inventar algo pode haver mercado para ele e assim eu gero lucro, em contrapartida os russos, não possuem uma mercado, mas uma necessidade que pode e deve ser resolvida pela objetividade, já que ninguém ganha dinheiro com essa invenção. Isso é o livre arbítrio, criar o produto ideal para a sua necessidade. Como tudo na vida tem sua parte boa ou ruim, veja a hidrocor você não apaga, mas o lápis você apaga. E como Stalin mudava a enciclopédia russa a sua vontade, o lápis atenderia perfeitamente a necessidade deles com esse adicional.


Contando com o homem ter o livre arbítrio e não ser o robô que todos desejariam ser, para não ter que enfrentar tufões, terremotos, cataclismas, tempestades, tsunamis e o vizinho enfezado e todos saberem seus limites em relação ao próximo. Oque podemos concluir que estamos fazendo por aqui?


Pensa!Pensa!Pensa!Pensa!Pensa!Pensa!Pensa!



Não sei.


APRENDENDO, APENAS ISSO, APRENDENDO A VIVER EM SOCIEDADE OU EM CONJUNTO OU EM HARMONIA COM O RESTO DA CRIAÇÃO. A FAUNA E FLORA FAZEM PARTE DESSA HARMONIA.


A evolução e adaptação ao meio em que vivemos mostra nitidamente isso. Agora como podemos aprender sem termos liberdade de pensar de decidir? Não podemos, pro isso tantos preferem ditadura, pois colocam a responsabilidade de vida nas costas de um louco que se gaba do poder que possui e sofre as consequências desse poder, por achar que pode fazer o que ele acha que pode e não o que a população precisa. Temos um louco desse no poder atualmente.


Assim o guarda que ajoelhou no pescoço e matou o negro americano, fez por que desejou fazer e não por que Deus mandou ele fazer aquilo. Sim Deus não intercedeu. Como no caso da mulher que foi defender o amigo e o PM a colocou no chão com o pé no pescoço para a imobilizar. Ai Deus intercedeu? não necessariamente, pode ter sido uma atitude do PM não querer matar a mulher. Mania de dar credito a tudo de errado que acontece a Deus e ao que de bom acontece é o homem que fez. Afinal ele, o homem, tem ou não livre arbítrio para poder decidir o que faz? Ou se escolhe somos pessoas teleguiadas ou somos donos do nosso nariz. Seria mais ou menos o que aconteceu no tribunal de Nuremberg, toda culpa era de Hitler eles apenas cumpriam ordem, e mesmo assim todos morreram enforcados, ´so os que se suicidaram escaparam e o Rudolf Hess que ficou preso até morrer na Inglaterra.


Na verdade, por que Deus é o culpado? Por que eu não quero admitir que estou errado e prejudiquei outro ser humano, apenas por isso e não por que Deus é mal ou sádico. Sou eu o covarde de me responsabilizar pelo que faço e obviamente Deus sabe disso e nos colocará en situações que teremos que optar em mudar ou continuar a sermos o déspota que sempre fomos. Mas um dia a gente acorda no inferno astral que geramos para nós. O inferno dos gregos nada mais é que o meu astral pessoal que se expande com a minha morte, apenas isso e a gente sente na carne a dor disso. E isso nos conserta, digamos assim como uma máquina de lavar enferrujada que passa por uma recauchutagem de sofrimento com martelada, soldar, raspagem, troca de fios poderes outra enrolada no morto e assim conseguimos um nova programação em nosso chips de controle para voltarmos a Terra e não cometermos de novo os erros que fizemos e que prejudicaram tanta gente.


Dizem que os negros ou africanos que hoje estão encarnados no chifre da África passando fome são os nazistas que fizeram o mesmo com os judeus nos campos de concentração, nada mais justo. Ai está o olho por olho e o dente por dente. Sem que eu saiba o que é passar fome como posso saber do sofrimento do outro por passar fome? E se eu reencarno será que nunca passei fome? Obvio que já, pois o mundo passou por ciclos de fome em toda a sua existência. Então por que eles fizeram os outros passar fome e agora tem que passar fome, para saber o que isso significa? Por um motivo simples. Eles não estavam preparados para compreender a dimensão da dor de passar fome em todo os seus detalhes e agora talvez estejam e nunca mais irão promover esse tipo de dor a outro ser humano. E os questão fazendo esses africanos passarem fome hoje o que acontecerá a eles vão passar fome, também? Sim mas não mais por aqui, mas em um outro planeta que começa a se desenvolver onde irão ajudar a população a se desenvolver como fizeram os filósofos gregos e outros grandes de outras nações que vieram aqui para poder em evoluírem socialmente e compreender que precisavam ajudar os outros a evoluir, para que pudessem se libertar de seu passado de devastação que promoveram e assim corrigir o que fizeram e assim assumirem a sua responsabilidade pelo mal e não a culpa pelo que fizeram, já que culpa nunca terá um meio de reconstruir aquilo que foi perdido como a vida humana morta pelo seu algoz. Um assassino profissional tem a responsabilidade de cumprir a sua missão, e por que ele não teria de dar vida a essa vida que ele tirou? ele nunca se sentiu culpado por ter feito o que fez, mas responsável. E como toda a moeda que ele recebeu para fazer o serviço ela deve olhar agora do outro l,ado e dar uma solução satisfatória à vida que tirou, seja construindo um creche, tendo muitos filhos ou sendo um professor em uma escola da periferia em uma escola estadual ganhando uma miséria.


Isso tudo é uma das partes que estão contida nessa frase abaixo, deve ter mais coisas que eu desconheço que ainda podem estar contida nela, mas já é uma bom começo, pois é reparando os erros cometidos que evoluímos para o reino divino, pois todos somos ignorantes, e outra grande verdade é que não existe um mal e um bem, o que existe é a nossa ignorância ou a sabedoria que adquirimos e com ela vamos gradualmente melhorando a vida como um todo, e a parte mais difícil de ser modificada ou resolvida ou evoluída é a moral que temos que atingir, pois temos organizações ilusórias que nos fornece uma pseudo superioridade que não temos, mas que acreditamos ter.


POR FAVOR PENSEM, NÃO VÃO PERDER NADA PENSANDO.




Sempre me preocupei em saber como me expressar para a pessoa com quem eu falo pudesse me entender, mas não tenho muito sucesso com isso, pois a pessoa precisa estar madura para compreender a dimensão do que eu estou falando, mas se ele nunca se questionou sobre aquilo ele não tem a menor condição de entender do que estou falando. Seria o mesmo que tentamos mostrar a um Bolsominions ou um Petralha a diferença de andar na borda do extremo, sempre se corre o risco de cair. Mas eles nunca conseguem enxergar o abismo que eles desafiam. Assim a arte de ensinar a fazer com que o raciocínio acompanha aquilo que pretende demonstrar, e não o que o interlocutor quer ouvir. Eu ainda batalho para poder fazer a coisa correta. Um bom dia.

sábado, 27 de junho de 2020

SERÁ QUE É PRIORITÁRIO SE ILUDIR?

https://emais.estadao.com.br/noticias/gente,regina-case-posta-homenagem-ao-marido-24-anos-cuidando-de-mim,70003346272





Vamos ser críticos. Veja você se declarar a alguém que já convive com ele a 25 anos, creio, é um fato legal, mas veja é algo intimo, não é público, porque a realidade dos dois são exatamente deles. Pode ser um hipocrisia, já que ela é uma atriz e apresentadora e precisa de plateia, para se valorizar e aumentar o seu sala´rio, se ainda está na Globo ou ser mais escalada para programas. Pode ser sincero, mas isso foi feito em rede social. Bom quem a segue, viu. Assim divulgar isso em jornal é ampliar o alcance e com isso publicidade. O que não deixa de ser uma hipocrisia, pois como não sou fã dela, pouco isso pode me interessar. Se foi honesto ou não, não há como saber com toda a certeza. Mas isso depende da minha ilusão em eu querer ser enganado, apenas isso.
Como vivemos da ilusão, sempre que descobrimos a verdadeira intenção do que foi dito ou feito, nos deparamos com a frustração a depressão, pois almejamos sermos lançados ao amor e a harmonia, mas não medimos esforços para mentir e enganar o outro. E quando somos frustrados o outro vira nosso inimigo.
Quando Jesus fala da doçura que para o bom politico (profissional e não humano) isso se traduz por carisma, mas ele é um enorme ilusionista da esperança.
Muitos criticam os padres por que ele infelizmente também não tem todas as respostas e se baseiam em dizer que era a vontade de Deus ou por uma questão de momento ele INVENTA uma interpretação para poder consolar o fiel. Que efetivamente o conforta, a´te que ele descobre que foi iludido e ai vira ateu. Uma vez um colega de Face disse que virou ateu por que o pai dele morreu. Percebe a morte é uma lei natural para todos da terra, até para plantas, bactérias e vírus. Por que isso aconteceu com ele? ELE ACREDITOU NO MILAGRE QUE A IGREJA PROPAGA. O que não existe. Basta pensar.
Em uma empresa há regras e dessa forma o presidente pode e deve controlar a empresa sabendo como ela vai se comportar dentro da visão de mercado dele. Isso é são as leis da empresa. Se alguém fura ou erra uma dessas leis podem não ter consequências imediatas, mas se uma delas for ou tiver um prioridade maior poderá falir a empresa. Assim Deus é o presidente dessa empresa, a unica questão é que ele é perfeito e assim as leis também o são e nós não as conhecemos na plenitude, e vamos descobrindo vivendo. Assim o milagre não pode ser real, pois um simples motivo ele segue leis imutáveis, mas que ponderam a cada casa e cada pessoa, por isso a sua perfeição. Alguém vendo a graça alcançada como Jesus ter curado cegos, falam me milagre, pois eles não sabem fazer.
Eu estou envelhecendo e tendendo a ter catarata, que é um processo natural. Quando fui ao oculista creio que a 3 anos, ela me disse que tinha 90% da visão, na outra vez que fui a minha visão estava limpa. Como eu tinha tomado passes de cura computei esse fato ao passe, já que nada além disso eu fiz. Imagine que esse cego estivesse com catarata. e Jesus desobstruiu a proteína do humor vítreo do olho que se precipitou junto ao cristalino como o passe fez com o meu olho. Isso não é milagre, mas a capacidade de alguém poder alterar o fator energético do olho, cristalino, proteína ou sei lá o que e curar.
Estou falando de ilusão, assim será que vale a pena se iludir? Isso é um alivio para a nossas tensões? E assim adiamos o nosso crescimento para um futuro? Será que olha a vida como efetivamente ela é falsa , egoísta e orgulhosa me tornará um eterno emburrado ou como o anão da branca de neve o zangado? Muito provável. Será que não seria mais sensato encontrar outros meios de se divertir e não de se submeter para poder aliviar a tensão? Pois a vida olhada em seu amago é realmente triste e decepcionante, pois somos falsos e hipócritas e não podemos contar nem com amigos, pois passaríamos a parasitá-los na nossa infelicidade.
Eu ainda procuro um melhor caminho para isso, mas uma das alternativas que uso é a piada oportuna, a compaixão, a auto humilhação para que posa dar uma visão mais irônica à vida e mostrar que estou assumindo a minha baixa virtude em algum ponto brincando co ma minha incapacidade de melhorá-la, pois eu não sou perfeito é é por isso que estou aqui. Para aprender a lidar com outros e comigo mesmo.
Vou fazer um resumo de um problema que venci.
Eu atendia 60 clientes por dia, recebia duplicatas e a venda a vista e muitas vezes eram em dinheiro, pois para o varejista me pagar em dinheiro ele correria menor risco de prejuízo em um assalto. E era época de inflação alta. Mas a empresa por ser uma cooperativa e ter o produto tabelado cobrava um juros baixo no atraso de duplicata. Assim co,m um valor relativamente baixo eu tinha que ir ao banco para realizar o deposito, pois caso fosse assaltado e passasse do limite eu estaria despedido e com filhos para criar. Assim como haviam muitos mercadistas que usavam a alternativa do atraso, pois o dinheiro aplicado no banco davam mais lucro que o da venda e do juros que ele pagaria para a empresa. E eu tinha que sair muito tarde da empresa chegando a trabalhar 12 horas por dia pois ia muitas vezes ao banco depositar. Convenci a cada um sabendo do problema deles e do meu os convenci-os a aumentar o crédito junto a minha empresa e dei um prazo maior de 7 dias para 30 dias na duplicata e elas foram para o banco. Era um ótimo negócio para eles que ao invés de trabalhar com o dinheiro da venda rápida do produto que era e ainda é de alto giro, ele tinham 21 dias para fazer a aplicação no banco ao invés dos 7 dias e tendo uma redução no seu lucro pelo juros mesmo baixos da empresa. Isso me possibilitou um elogio da gerencia pois era o que tinha menos atraso em duplicatas e ter um aumento salarial e uma promoção. Me ajudei e ajudei a clientela. E tive a minha recompensa. Compreende qeu a realidade nem sempre é ruim, mas temos que saber olhar para a vida e ver o que é possível melhorar para todos e nunca apenas para meia duzia como vem acontecendo nesse nosso século, onde o único beneficiado pelo governo é o funcionalismo público de aspones e e agora com esse novo governo os privilegiados são as forças de seguranças e a armada.
TRISTE! QUANDO CHEGARÁ A NOSSA VEZ? A ULTIMA FOI NO MILAGRE BRASILEIRO EM 70 E NÃO POSSO VALORIZAR A DO LULLA POR TER SIDO APENAS UMA CLASSE A BENEFICIADA E NÃO TODA A POPULAÇÃO.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

TODO MAL, LEVA A UM BEM!




Nós, na verdade, não compreendemos Deus. E olhamos a vida como um mal. Deus não promoveu o mal, mas ele nos permite sofrer as consequências de nossas ações, satisfatórias para o nosso amago ou sem o sabor da vitória para a nossa vida. Vou contar a minha estória e vamos ver como me saiu nessa demonstração, pois o mal não existe, mas a sua consequência.

Eu quando estava no colégio, tinha amigos e alguns fumavam, eu adorava o cheiro do fumo. Como se pode ver se tem gosto para tudo. Mas nunca quis me aventurar em fumar, apesar de amigos quando éramos mais infantis, roubavam cigarro dos pais para fumarmos no cinema. Era uma aventura.

Um dos meus amigos chegou na turma, que eu frequentava, fumando um Benson and Hedges, importado, que era um charme isso quando eu tinha 16 anos. E papo vai e vem, ele nos ensinou a tragar e o que significava isso. Ai a aventura realmente tomou proporções viciante e realmente apesar da tontura aprendi a fumar. Eu trabalhava e assim podia manter o status de cigarros importados.

Quando eu tinha 17 anos aconteceu um fato que iria alterar todo o meu desenvolvimento, conheci uma garota que a expressão de diabo encarnado, fazia todo o sentido. Mas evidentemente na época nem imaginei isso.

O Fato era que uma amiga nossa, da turma, estava interessada em um dos rapazes que estavam ali. Na verdade, isso ocorreu em um sábado, pois a grande maioria do pessoal namorava e nós, os 4 solteirões estavam ali esperando a turma voltar da obrigação, para podermos ir ao Senzala na Pan-americana comer um cheese hambúrguer salada bacon com tudo que tinha direito. Era mais ou menos nosso cotidiano de fim de semana. (programão!)

Essa garota para evitar ter que ficar na rodinha com todos os 4, pois o interesse era ter uma conversa em separado com o seu amado, ela levou mais 3 amigas de classe e para mim sobrou essa garota. Foi uma noite agradável que eu estava todo inspirado e risonho estranhamente, e no final quando o irmão de nossa amiga chegou para apanhá-las de carro, a garota me deu um papel com o seu telefone.

Como de hábito também a minha mãe pegava a minha roupa do dia anterior e tacava na máquina de lavar e lá se foi o papel com o telefone da menina. Quando voltei a pôr a mesma camisa lavada e passada, notei a trouxinha de papel no bolso da camisa, mas nem lembrei do que poderia ser.

Foi então que minha vida começou a andar para traz. Como disse a garota era o diabo encarnado e vem me perseguindo até hoje com 68 anos. Mas não era para falar mal dela que fiz o texto, mas para demonstrar que o mal não existe, mas uma reprimenda do Pai para que possamos trilhar o caminho de nosso objetivo de vida.

Bom como disse logo no início do texto, a vida é ação e reação, sofremos as consequências de nossos atos, bons ou ruins. Quem ganhar na loteria deve ter dado muito dinheiro em outras vidas. Isso é uma ironia. Trata-se mais de uma prova do que um benefício, isso pela forma como o mundo está organizado, pois o dinheiro não faz parte das leis da natureza, ele é um meio humano de gerir a vida, assim pedir dinheiro para Deus, nunca será algo que ele irá atender. Mas Ele pode te arrumar um bico para você pagar as contas atrasadas.

Voltando ao cigarro. Bom quando estava na faculdade ela estava atuante e reforçou a sua facilidade em lidar comigo aumentando a minha dependência do cigarro com a aproximação de um indivíduo que gostava de fumar e estava desesperado para isso.

Como depois de anos fui começar minha peregrinação pelo espiritismo, começando pela mesa branca, graças a uma pneumonia, eu deixei de fumar. O que ela armou uma armadilha para que eu voltasse a fumar apelando para a minha bondade, pois um médium me disse que o meu anjo da guarda, isso é o meu lado negativo que me acompanhava e que ele chamou de anjo da guarda e eu cai feito pato, voltei a fumar e o objetivo dele era exatamente esse, me fazer voltar a ser dependente dela. E por azar ela depois de algum tempo veio trabalhar na mesma empresa onde eu estava e o ódio de mim, não se alterou, continuou forte e rijo.

Depois de muita atribulação, chegamos a 2003, quando tive minha primeira crise hepática de obstrução do colédoco e assim internação e a paralisação de fumar. Depois de haverem limpado o canal da obstrução que é conhecido como pedra na vesícula, o sistema voltou a funcionar normalmente e a biles que circulava pelo sangue voltou ao plano estomacal e seus deveres de emulsificante.

Mas eu cometi um erro, queria fazer como meu tio, que apesar de ter perdido a perna pelo cigarro, fumava 3 cigarros por dia, e tentei a alternativa. Pois gostava como disse do cheiro, como todo viciado. Filho não deu resultado, pois não tinha toda essa consciência do mal que estava fazendo a mim fumando. E veja que nada físico, somente psicológico. Graças a Ex, por nos dar um pode de maionese vencida, que o guloso se fartou com ele, voltei a ter problemas com a vesícula, pois o excesso de gordura da maionese, obrigou a vesícula a ser comprimida e ferrar novamente o colédoco. Veja como eles são conhecedores do mal que praticam e o sua ignorância o leva a ser agente de seu próprio mal.

Bom dessa vez tinha conseguido uma infecção junto com a interrupção, mas em janeiro a coisa acalmou e em julho piorou e tive que me internar para retirar a vesícula e resolver o problema definitivamente, mas não sem antes receber uma orientação de um irmão prestativo e humano de um dos internados em janeiro na primeira crise do ano novo de 2005. Ele disse:

-- Você sabia que a biles circulando no sangue elimina a vontade de fumar?

Quando ele falou eu percebi essa verdade, pois como estava internado e fumando, o cigarro tinha um sabor horrível. E como eu estava transgredindo as regras do pronto socorro fumando perdi a oportunidade. Assim em julho consciente e com uma crise homérica do fígado, dia 27 de julho deixei de fumar e percebi que se voltasse a colocar um só cigarro na boca, voltaria a fumar e efetivamente fazem 14 anos 5 meses que não ponho um cigarro na boca.

Veja que a crise do colédoco dessa última vez foi terrível e eu sofri muito de dores e convulsões. Analisando, talvez eu possa dizer que na época que tive poder e prejudiquei muita gente, talvez fizesse banquetes regados a vinhos caros e lagostas e depois de 500 anos tive a oportunidade se sofrer as mazelas dos meus prazeres efêmeros. Mas se não foi banquete, com certeza foi me embebedar.

Bom nessa época estava indo em um centro de Umbanda que me ajudaram muito, pois me ajudaram a vencer o que mais me atrapalhava para poder me desenvolver plenamente no kardecismo. Tiveram que fazer um trabalho especifico depois de 5 meses de ter parado de fumar, pois o pessoal que fumava, não me desejava liberar e procurar seu prazer com outro, pois o objetivo era me manter cativo e assim prenderam os espíritos que creio serem 3 e o levaram para serem doutrinados, como em uma prisão, só que mais eficiente que as prisões terrenas. Não perguntem, pois não sei deles, mas confio em Deus e sei que fizeram o melhor por eles. E todos pagam pelo mal que praticam, seja o médium que os invocou como eles que promoveram, nada é injusto no reino divino.

Agora vamos imaginar você nessa situação. Veja que eu cai algumas vezes, até ter plena consciência do que ocorria e poder me libertar de parte do mal que me acompanha.

Quando eu era criança, um tio umbandista fez em seu sitio, uma previsão para as crianças que estavam por lá e para mim realmente ele pedia para o rapaz que tocava o violino que chorasse com o instrumento, pois minha vida seria difícil como realmente foi ou ainda é, mas estou levando como posso. Sou santo? Nem a pau Juvenal, nem a pau Juvenal.  Por mais que tivesse preparado para tudo que programei, realmente não tinha a menor noção do que iria passar, mas passei, e agradeço a Deus e aos bons espíritos que me auxiliaram nesse difícil caminho. Mas ainda estou inteiro e não matei ninguém nessa vida, o que nas anteriores não consegui evitar.

Vi algumas das minhas vidas e sim, não sou santo. Mas venho lutando para me aperfeiçoar em mim, alterando o meu comportamento compreendendo como eu funciono e como eu posso ou não modificar-me.

Espero ter mais uns 16 anos e meio de vida, quer dizer estabeleci que com 85 anos pode ser que a minha máquina química chegue a seu fim com sua utilidade, mas obvio que isso é um chute com os dois pés e se vai ou não acontecer está fora da minha alçada, mas sigo o caminho até onde ele conseguir me levar.

Realmente o problema com a garota ainda infelizmente não acabou, mas a consciência do fato demonstra que deve estarem seu final. Poderia matá-la, mas vamos raciocinar, uma mulher que persegue alguém por 50 anos ou mais, e vamos ver quando isso acaba, não está jogando essa vingança sozinha, trem alguém lhe fornecendo estrutura para ela poder se proteger de tudo que faz e por mais que possa responsabilizar a amiga que estava querendo casar com o nosso amigo e conseguiu, culpa-la, não seria justo, apenas a covardia dela de não me dar a informação correta por medo da garota, o que é uma lastima, para ela, só me dificulta mais a pesquisa e a minha ação, ela iria aparecer de outra forma na minha vida, pois era o objetivo de ambos toda a desgraça que ela poderia promover sobre mim. Pode parecer conformismo, mas não é pois ainda estou lutando de forma distinta, para me livrar dela, seja doutrinando a ela e ao espirito que a acompanha, seja alterando o meu comportamento e assim entender que como espírito eu não sou natural da terra, mas do Além e assim é lá que devo ser feliz, aqui posso dar um jeito de passar pelas dificuldades para poder crescer e me desenvolver para me libertar das amarras que eu mesmo promovi à minha vida ou existência.

No caso dela, Deus permite que ela se torne o meu algoz por dois motivos, eu tenho alguma capacidade de ultrapassar as provas e ela não teria condições ainda disso, pois a lei que chamam de retorno que seria uma variação de colher o que plantou, ainda não aconteceu, por ela não se modificar, apesar das porradas que deve ter sofrido na vida, mesmo que os seus amigos espirituais tenham conseguido evitar muitas ou algumas, pois o que ela tenha condições de superar, Deus permite que aconteçam, pois ele espera que ela se reforme e assim seja também no futuro uma luz brilhante ao lado dele comigo a seu lado, pois esse é o fim de todos nós.

Concluindo. Isso é uma peça para quem a ler ou ouvir, algo que espero que possa dar a este, algo para pensar e meditar e assim alterar a sua vida ou a forma de ver a vida, pois as conclusões são minhas e obviamente da boa vontade do meu protetor que me avisou, avisou, avisou ...., e só depois de 50 anos ouvi. Assim espero que possa ser útil para algo, mas principalmente para que se entenda que o mal que nos acontece é uma correção de rumo que levará a um bem, talvez não tão imediato, veja que por 50 anos estou sofrendo as consequências disso e ainda deve se prolongar que espero ser breve, na verdade preferia que fosse para ontem, mas depende da minha dívida e da inteligência dela, apesar dela ter feito psicologia e ter algum QI para utilizá-lo produtivamente, eu depende do seu anjo da guarda e não da sua amiga de vingança que ela considera anjo da guarda, para que possa lhe dizer algo positivo que reverta efetivamente toda a realidade dela e possa se ver em outro caminho nesse final de vida que ainda temos, mas eu vou ajuda-la nisso, apesar de saber que será doloroso para ela, pois vai atingi-la em cheio no seu orgulho e sua ilusão de poder e todas as pessoas que diretamente ou indiretamente se envolveram nesse caminho terão a sua recompensa efetivamente entregue, com dor e sofrimento para compreenderem a realidade do seus atos.

Assim Deus não nos faz mal. Tudo que está no Torah de Moisés, nada mais é que como evitar uma reação adversa a sua vida, isso é a lei de ação e reação ou o que se planta colhe, aqui se faz aqui se paga, olho por olho dente por dente, a questão é a compreensão exata dessas palavras e não a autodefesa esbaforida ou de vingança que nos leva a cometer uma injustiça tentando fazer justiça com as próprias mãos. Entendam que se ela sofreu nas minhas mãos em outra vida, com toda certeza ela está purgando algo que também cometeu e da mesma forma, nada diferente, como eu fazendo a mesma coisa agora sofrendo o que fiz alguém sofrer ou melhor, que não soube ver o que havia de positivo no relacionamento que tínhamos quebrando-lhe a ilusão e a colocando em estado lastimável ou decrépito que pode até tê-la levado a um suicídio, isso pela falsa cultura do casamento indissolúvel, e a falta de compreensão e de perdão pois o homem como um eterno aprendiz vai fatalmente errar e tudo que nos faz sofrer nada mais é que uma ilusão, pois acreditamos em uma mentira e como tal essa FÉ, nessa mentira se a assumirmos destrói toda a nossa personalidade e teremos que refazê-la como um vaso partido em mil caquinhos que vamos agora ter que colar no local certo. Foi exatamente isso que ela, a garota fez comigo e eu ainda estou remontando o meu vaso para que se torne inquebrável, ie, que não tenha um aparato de orgulho que o faça destruir novamente. Obvio que se eu conseguir isso é por ser um gênio, mas honestamente:

EU NÃO SOU.

ASSIM LEITORES, AMIGOS E INIMIGOS, ESPERO QUE ISSO OS AJUDEM A AMADURECER E SE TORNAREM FELIZES, NÃO APENAS PARA O ANO QUE VAMOS ADENTRAR, MAS POR MUITO MAIS TEMPO QUE APENAS ISSO, DE ALGUMA FORMA ESSA É A FALA DE SÓCRATES COM CONHEÇA A SI MESMO OU PRATIQUE A REFORMA INTIMA DE ANDRÉ LUIS, EU SOU UM POUCO MAIS EXIGENTE QUE ELES, EU QUERO SABER COMO EU FIZ ISSO O QUE ME LEVOU A FAZER ISSO E ASSIM AS RESPOSTAS QUE PUDE ENCONTRAR ESTÃO AI, ESPERO QUE OS AJUDE E ORIENTE.

ADENDO: ISSO NÃO É PARA FICAR FALANDO QUE DÓ, AMÉM OU COITADINHO, O QUE ESTOU SOFRENDO É POR PURA CONSEQUÊNCIA MINHA PESSOAL E POR TER TIDO A CORAGEM DE ENFRENTÁ-LA, ASSIM NÃO SE APIEDE DE MIM, MAS DE VOCÊ E ENCONTREM UM MELHOR CAMINHO PARA VOCÊS ALTERANDO O SEU COMPORTAMENTO E CASO NÃO CONSIGAM PROCUREM UM PSICOLOGO E GASTE UM BOM DINHEIRO PARA SER ALGO ÚTIL PARA O SEU FUTURO.




QUE DEUS DÊ A TODOS UM ÓTIMO NATAL E UM MARAVILHOSO ANO NOVO SEM GUERRAS, SOFRIMENTOS DORES E QUE TUDO POSSA SER MODIFICADO PELO AMOR E NÃO PELA DOR. QUE ASSIM SEJA MEU PAI.

sábado, 29 de junho de 2019

OS ESTÍMULOS PARA A VIDA




São 3 estímulos básicos que nos levam a avançar na vida, eles são chamados de instintos, que são instinto de sobrevivência, preservação da espécie e ou outro que não é instinto ou seria a recompensa pelo acerto, a felicidade.

Veja que a felicidade não é um direito é um trabalho que deve ser desenvolvido para se chegar a ele e assim ele se torna uma conquista.

Mas vamos falar o instinto de sobrevivência. Se não o tivéssemos estaríamos fadados a morrer. Feliz é uma planta que se auto nutre pelo solo e o sol. Ela não precisa sair à caça de alimento para manter seu organismo atuando assim ela por este motivo não pode ter um espírito que controle todo o organismo, pois ele não teria função e sofreria mais que o necessário, já que se arrancariam galhos, flores e frutos de seu corpo e imaginem se alguém ficasse cortando seus dedos para comê-los e você continuando vivo. Assim é sábio que um organismo como esse, tenha cada célula como um indivíduo e nunca esse conjunto.

Agora imaginem se não tivéssemos fome. Seriamos como uma planta e ficar estático seria na nossa solução. Como não somos estáticos isso nos diferencia e temos a mobilidade para encontrarmos a comida para satisfazer a nossa necessidade de combustível para movimentar a máquina química que carregamos. Isso indica que o trabalho é um subproduto do nosso instinto de sobrevivência.

Pela história o único que temos como alguém que se deu bem ficando parado embaixo de uma árvore foi Newton que conseguiu fazer a teoria Mecânica por uma maçã ter caído na sua cabeça descobrindo a gravidade. Assim trabalhamos sempre.

Uma análise que se deve fazer é que o homem tem uma arma que os outros animais não possuem. O alto desenvolvimento de seu cérebro. Esta é a arma que o homem possui para poder sobreviver e se defender das agruras da Terra e do Universo. Os outros animais têm outras armas diferentes, um é espinhos, outro é força descomunal, outro é o tamanho, outro a velocidade e por aí vai. Veja que todos animais precisam sobreviver, não é só o homem.

Obvio que quando o homem destrói um habitat típico de um animal podemos leva-lo a extinção, assim somos responsáveis pelo que fazemos e afetamos os outros animais.
Muitos vão pensar, mas eles existem para serem mortos pois eles servem de alimento aos animais carnívoros.

Sim isso é verdade, mas mesmo os animais carnívoros não extinguem a espécie que os alimenta e mantem uma população em equilíbrio entre o que é jantado e o que se deixa para procriar. As consequências disso são as baratas, os ratos, os gafanhotos e outros animais que perde seus predadores e assim não tem quem controle a população desses animais e assim nós somos obrigados a sermos os algozes desses animais e não os usar para nos alimentar.

Veja o projeto Tamar cuida das tartarugas para elas não morrerem. Da postura de uma fêmea que são vários ovos se um deles chegar à idade adulta de se reproduzir ela garantiu a sua espécie, pois ela sobreviverá, nos seus netos. Assim são as baratas caseiras elas lotam o ninho de ovos, como não há ninguém para controlar a população delas, elas acabam saindo do esgoto, seja pela aventura ou para equilibrar a comunidade que pode atender um número determinado de indivíduos e assim elas se aventuram na procura de mais comida, pois esse é o limite delas e a competição. Se alimentar. E assim elas praticam o auto suicídio, pois vão correr o risco de serem assassinadas por nós. E com isso fazemos inconscientemente o controle da natalidade da barata.

Da mesma forma isso acontece no campo. Quando há a revoada de gafanhotos pelos campos, é para procriação e assim eles se abastecem de comida para poderem ter uma reprodução satisfatória, mas como eles não tem seus predadores, pois eles não conseguiram sobreviver sem a mata, eles saem comendo tudo que é verde, amarelo, vermelho, roxo, e a cor que tiver. Assim a indústria para poder controlar cria o agrotóxico e na primeira mordida que o gafanhoto dá na planta ela cai dura do outro lado. O problema disso é que as que sobram são resistente ao agrotóxico e assim se cria um mais forte e nós vamos nos suicidando pelo excesso de produtos químicos no nosso organismo como resíduo da nossa alimentação.

O homem prefere desenvolver outro agrotóxico ao invés de manter uma floresta nativa na fazenda que controla os animais que possam se alimentar da plantação sem agrotóxico.

A lei de sobrevivência vale tanto para eles como para nós, por sermos os mais inteligentes e não agirmos apenas por instinto, mas por lógica, deveríamos abolir a nossa ganancia e usarmos outras alternativas para poder controlar naturalmente esses animais que se valem do nosso plantio para sobreviverem.

Percebe que a nossa dificuldade nos faz alterar o pensamento e descobrir coisas novas para continuarmos avançando na sobrevivência. Eles fazem o mesmo, só que é na sua codificação gênica e assim criam resistência à nossas atitudes químicas para, mata-los, seja um misero pernilongo ou uma bactéria ou um vírus, que se adaptam à dificuldade apresentada. Para eles a mágica funciona, mas para nós temos que pensar e agir.

O outro é a preservação da espécie. De alguma forma eu expus como ela funciona acima, quanto mais limitado um organismo para sobreviver, maior é o número de descendentes que se concebe, para poder ter chance de alguns sobreviverem e assim manterem a espécie ativa dentro do mundo realizando o seu trabalho de higienização da natureza.

Nosso sistema social nos permitiu preservarmos a nossa espécie e assim conseguirmos superar a nossa deficiência muscular em relação aos outros animais e podermos dominar o planeta.

Essas duas características a de procriar e a de sobreviver nos deu a derivação de um sentimento que damos o nome egoísmo para o da sobrevivência e de orgulho para o sexo.

Normalmente o pessoal não entende que o sexo nada mais é que poder. Vou primeiramente nos colocar na situação de dois animais disputando uma fêmea. Eles vão usar sua arma para conquistar a fêmea, dependendo do animal é sua força ou em caso de pássaros serem atraentes pela sua beleza ou em formar um ninho que a fêmea se atraia. Para o homem não é muito diferente. E o poder desse homem que fará a mulher se ligar a ele, seja financeiro, intelectual, ou de delicadeza, de praticidade ou outro efeito que seja o mais importante para essa mulher. Sempre ligado a sobrevivência, por isso alguns casamentos baseado em meios financeiros e muitos terminam exatamente por esse motivo. Se fizerem uma pesquisa sempre isso falará mais alto para uma mulher, seja pela falta efetiva ou seja pela limitação de prazeres que o dinheiro possa dar. E veja que hoje muita mulher prefere ficar sozinha a ter um marido dentro de casa, pois representa o dobro de trabalho para ela e conciliar os interesses de ambos nem sempre é possível. Assim alguma que tem mais independência ou uma personalidade mais forte, não se sujeitam aos caprichos do homem e assim ficam com alguém por um tempo e quando cansam trocam como se fossem trocar um novo vestido que já está surrado. Só uma coisa o homem fez muito isso, não é privilégio de mulher.

Eu não falei do poder da mulher. Mas a mulher seu grande poder está no corpo e na beleza. Pois são as armas que ela usa para dominar um homem de seu interesse. E não venham me falar que não trem poder nisso, pois se o objeto de seu desejo não a atender, mas se envolver com outra, ela vai mover mundos e fundos para poder destruir esse relacionamento, seja sobre a concorrente seja pelo objeto de desejo e aí é realmente objeto de desejo. E as feministas pensando que apenas a mulher é objeto. Elas não aceitam muito bem a rejeição.
Como alguns homens que levam isso a extremos como elas.

Aí chegamos ao momento da felicidade. Felicidade não é o casamento. Não é um homem ou uma mulher. A felicidade é a conquista de ter acertado na escolha. Nunca teremos a metade da laranja, pois o nosso lado feminino ou masculino é a nossa metade da laranja. Assim como todos somos diferentes em algum pensamento ou proposta, já que a permutação de ideias é enorme e a cada vez que mais evoluímos mais diferentes nos tornamos, assim podermos fazer uma escolha que possamos aceitar as diferenças e ter algo que nos acrescente, pois isso é diferente, isso é algo que podemos ou estamos preparados para aceitar como uma verdade ou crença, isso nos dá uma felicidade relativa para podermos ter uma vida em comum onde um ajuda o outro e não disputam a hegemonia do lar. Ou a criação dos filhos ou a luta por ter o jeito certo de superar uma dificuldade.

Normalmente um dos dois se reprime para poder viver em harmonia.

A mulher hoje está mais independente, o que gera uma alteração no comportamento do casamento. Agora como todos nós estamos aqui aprendendo, temos que errar com o companheiro (a) para podermos ir ajustando o nosso gosto e compreendendo do que gostamos, por isso o namoro é importante para não se fazer burrices. Veja que começamos a namorar na adolescência e a nossa libido está em alta, assim a principal alternativa é a atração sexual e não a compreensão de interesses profissionais e de vida e de criação de uma prole. Por isso de alguma forma a demora hoje para se realizar o casamento é benéfica, pois dá mais tempo para a pessoa perceber a sua adaptação ao outro e vice-versa.

Isso não quer dizer que devemos namorar na adolescência e casar levando essa união até que a morte nos separe. Mas o importante é não ter filhos muito cedo ou acidentes que nos faça ter filhos antes do momento aprazado. Pois temos que estar prontos para podermos nos responsabilizarmos por um outro ser.

Assim a felicidade para ser conquistada ela requer compreensão da vida, responsabilidade e superarmos nosso egoísmo e orgulho, pois isso fará com que tenhamos a perfeita noção das nossas limitações e discernimento para encontrar a melhor solução para os problemas novos que irão surgir em uma vida solitária ou acompanhado. Assim conhecer que se é e aceitar o que se é, pois não há ser humano perfeito, talvez só Moisés de Michelangelo e mesmo assim era uma estátua, não podemos nos arvorar nem de dono da verdade, pois não sabemos nem o que vai acontecer um minuto depois de terminar A DIGITAÇÃO, como agora que eu apertei involuntariamente o caps lock, quanto mais termos a certeza de que teremos sucesso na vida, mas esperamos ter sucesso e teremos, o problema que podemos ter não o sucesso que esperamos mas o sucesso do espírito e só vamos descobrir a felicidade no plano espiritual.

sexta-feira, 28 de junho de 2019

O QUE PLANTO, EU COLHO!




Um fato que descobri recentemente é que toda a filosofia Mosaica, nada mais é que exatamente essa frase acima, o que faço recebo de volta com a mesma intensidade que a realizei.

Pensando que eu reencarno e não ressuscito, eu volto a nascer no mundo para continuar aquilo que deixei de fazer ou consertar aquilo que fiz de errado. Poderia usar políticos brasileiros para mostrar isso, mas o mais típico dessa devastação ou consequência de um poder desmensurado foi aquilo que Hitler conseguiu fazer na Europa e com os judeus e outros conceitos de cultura e nunca de raça, pois como Darwin se expressa, ela não existe, mas mutações que levam a transformações positivas ou negativas para a sobrevivência dos seus portadores. Seria justo Hitler que por uma vaidade pessoal da morte de 60 milhões de pessoas aproximadamente não pague por tudo isso que fez, pois se voltar à Terra novamente com o poder que teve, fará tudo isso de novo? Obvio que ele deve se reformular, ou se acredita que ele saiu da Terra e virou anjo. Se o Troglodita virou anjo ou um bebê se tornou um anjo, pombas eu prefiro morrer quando nenê, pois não vou sofrer tudo que tenho sofrido com decepções e desamor e assim passo automaticamente para ao paraíso e ainda falando gugu dada. Isso só mostra que Deus não é justo.

Qual a minha recompensa por ter sobrevivido e conseguido criar família, sustenta-la gerar uma prole e ir para o inferno????? Ele é um deus mal e ruim além de sacana, pois ele se diverte nos fazendo sofrer. Ao menos o Robô que vamos criar um dia poderá ser aprimorado com peças novas e nova programação e se possível fazê-lo aprender como nós pelas situações vividas, que ainda não acredito que acontece. Mas pode ser uma nova programação que ele se auto inocule.

Obvio que essa não pode ser a verdade. Temos que aprender como os robôs estão querendo que façam. Se a ciência quer isso do robô, por que ela não gostaria do mesmo no homem? Obvio que ela quer, se não fosse assim estaríamos ainda morando em caverna como um tatu. Assim o mais lógico é: ESTAMOS AQUI PARA APRENDER A VIVER!

Isso posto, estou dizendo que todos pagam pelo que plantam, seja hoje ou amanhã, pelo que foi feito ontem.

Por que eu tenho que sofrer aquilo que faço?

Caso eu não queime o dedo e isso não doa no meu sistema nervoso, me dando o sinal de alarme do corpo, eu vou destruir o dedo no fogo sem perceber que estou perdendo uma parte do meu corpo. Assim a dor é o alarme do corpo, seja psicológico ou químico como o fogo.

Assim quando eu magoo uma pessoa, eu não sinto nada talvez o prazer mórbido de vê-lo sofrer ou se não foi de forma consciente eu desconheço a sua dor, pois não tive a intenção. E isso não me dá a noção do que devo ou não fazer para não prejudicar alguém seja consciente ou inconsciente?

Por isso devo sofrer ou me beneficiar do bem ou mal que faço aos outros e assim eu colho o que plantei.

Bom, tem várias formas de ver o mal e o bem se que faz. Na verdade, o mal nesse ponto de vista não existe, pois o mal vai levar a um bem. Quem sofre um mal paga uma dívida ou deixa de ser ingênuo sobre algo que nunca lhe aconteceu.

Quem realizou a dificuldade alheia, vai no seu tempo, sofrer o mesmo mal e vai ser piorado ou intensificado, para que perceba na pele o mal que fez e assim mudar a sua conduta e comportamento.

Todos erramos, ninguém foi perfeito ao encarnar na Terra, com exceção de Jesus e mesmo assim foi crucificado. Afinal foi Deus que o crucificou ou foi o homem?

Veja que a morte também não é um problema, por que eu continuo vivendo, mas perco a oportunidade de aprender mais pelas dificuldades que a vida pode me proporcionar e minha criatividade for capaz de resolver ou alguém me ajudar a resolver. Por isso não podemos e não devemos matar ninguém, pois é a oportunidade que o espírito tem de se reformular para a sua vida futura que é o espaço ou além.

Vamos perder um pouco de tempo com tudo isso. A antecipação da morte.

Veja cada pessoa tem uma necessidade de aprendizado que segue uma premissa entre o que ele conhece e o que ele precisa conhecer. Desta forma, uma vida em um determinado século e período desse século, há uma série de informações que lhe permitiram aprender o que lhe falta e lhe dar respaldo para superar alguns séculos no éter para voltar na oportunidade de se encontrar com algozes e amigos que o dificultaram e ajudaram a superar as suas dificuldades e se sentir integrado ao meio. Caso ele saia da vida antes de tudo que lhe foi tratado para aprender e solucionar com seus inimigos, esse tempo acaba se perdendo e a dificuldade dos meios novamente se tornarem favoráveis ao seu ressurgimento na Terra com todos eles novamente pode demorar muito e assim a oportunidade anterior que foi perdida o atrasará para se libertar daquilo que fez.

Isso vale para o suicida também, mas o problema dele é a fraqueza e covardia, que o leva a não suportar a prova e assim deixar de sofrer aquilo que fez outro sofrer, até talvez aquele que ele prejudicou, e assim ele foge da prova e tem que retornar e perder uma reencarnação reparando o mal do corpo, para se encontrar de novo com a mesma situação e superá-la. E assim passar para a próxima fase de se aperfeiçoamento.

Bom, agora vamos ao eu realmente quero falar sobre o sofrimento de uma pessoa pelo mal praticado.

Vamos ver. Tenho um problema pessoal de inveja que me atinge, por uma pessoa. Isso se refere a uma vida passada entre o século XV e XVI. Mas envolve muitas pessoas.

A pessoa que ativou essa lembrança do passado é uma pessoa que não seria ingênua, mas por dar a outro o direito de agir sobre a sua responsabilidade pessoal, esta pessoa age pela sua índole e não pela dela. Assim a minha dívida ao que parece é com ele e não com ela. Com ela estaríamos na Etrúria ou Roma, mas com ele na Europa e eu com muito poder.

Ele eu não conheço, ela eu conheço. Ele está no hemisfério norte e eu no Sul.

Assim ela a usa para poder promover a sua vingança pessoal contra mim, principalmente por que o venci em algumas batalhas nesta existência pelo que ele pretendia e o que eu pretendia, nossos interesses eram e são dispares. Assim o choque se tornaria natural pelo que estamos interessados em realizar. Isso já dura 30 anos.

Difícil eu ter alguma noção do que poderia ou não fazer com ele. Obvio que tive momentos de tremendo ódio sobre ele, mas isso não me ajuda em nada, pois não sei onde está o ponto fraco dele para poder atingi-lo e assim o ódio que eu gerar será mal para mim mesmo, assim eu conto com Deus e os espíritos amigos para poder superar aquilo que lhe fiz. Talvez no seu final eu descubra o mal que realizei que até o momento desconheço, mas já tenho perfeita noção do que está fazendo comigo. E o que me preocupa não é comigo, mas meus filhos, por que isso lhes é estendido. Eles estão sofrendo algo que fizeram, nem imagino se faz parte do mesmo processo que o meu, mas com certeza algo eles estão tendo que pagar para estarem em situação péssima e eu de mãos amarradas sem poder ajudar.
Meu problema é ele? Sim e não. Não tenho informações suficiente para saber até que ponto posso ou não interferir na sua realidade. Mas dela. Ela eu conheço e convivi. E o sentimento que tenho por ela é de compaixão.

Perceba que ela em uma descrição rápida seria exatamente o último servidor da parábola do talento, onde ele não usa os seus talentos para ajudar ninguém e por medo enterra esse talento inativo na terra e não o usa nem para crescer, ou ajudar ou se aprimorar criando novas virtudes. Todos temos mais que uma virtude, mas a usamos de forma egoísta e nunca por caridade, além do medo de desaprovar a ação de alguém que você lhe deu poder para poder lhe fazer mal.

Um exemplo bobo. Seu patrão o faz de escravo particular, fazendo favores para como pagar conta e outros favores e você não recebe nada por isso, nem um obrigado. Oque você faz? Pede as contas e arruma a outro emprego. Ela se sujeita e vai encontrando alternativas para evitar que tenha que tomar a decisão a libertaria, que no caso seria dar aos banqueiros a moeda e render juros ou fazer o pior trabalhar com a moeda e tirar lucro dela. Veja que o pior aqui seria para ela e não o natural.

Assim eu seu que no momento que tudo for resolvido irá sobrar um bronha para ela, eu querendo ou não ela querendo ou não. Se ela vai saber superar isso, é com ela, se vai se afundar com isso, é com ela. E ela vai ser obrigada a tomar a decisão.

Veja isso eu sei, mas tenho que resolver a minha vida e isso resolve a vida de meus filhos, o que se torna mais prioritário para mim. Assim a escolha é fácil, meus filhos e minha responsabilidade com as minhas virtudes em deixa-las prosperar e se desenvolver de forma mais útil e assim melhor ao todo.

Agora, eu posso, sabendo ou não que sofrerá as consequências das coisas que irão lhe acontecer pelo que fez, ou deu apoio ao fato, posso falar raivosamente que ele merece ou ter compaixão e perceber que isso a ajudará a mudar e assim melhorar a sua vida futura.

Quando se fala para rezar para o seu inimigo, não é para ser fraco, medroso ou covarde, mas que a oração ajudará o anjo protetor que lhe acompanha a ter como encontrar o caminho para que ele entenda que o mal que ele está praticando irá custar muito caro a ele e que isso poderá jogá-lo na miséria por várias encarnações. Um guia espiritual não irá interceder na sua decisão tomada, mas vai tentar evitar esse momento em uma decisão que o comprometerá muito na vida e assim ele sofre para se corrigir, já que pelo amor desse amigo ele não quis ouvir ou mudar e assim um momento isso irá acontecer, mesmo que seja em outra vida como o caso de Hitler. Ou
Stalin, ou Tojo. E por aí vai.

O que estou dizendo?

Que não é errado ver o mal e saber que ele vai acontecer, mas o desejo que ele aconteça. Se eu quiser posso aliviar a crise da pessoa. Como? Rezando por ela, quer dizer o mal irá acontecer e no que a minha prece fará bem para ela? Para que ela possa perceber onde está o erro se arrepender e mudar de atitude. Veja eu estou falando que ela irá sofrer, não importa o que eu faça, pois é a dívida dela, mas ela poderá sofrer menos tempo se ela compreender o erro e alterar o seu comportamento que a levou ao sofrimento.

Assim eu desejar o mal de alguém, pelo mal que lhe fiz, me torna tão dependente do mal que está acontecendo como do mal que ele me fez e assim eu continuo devedor, pois estou sendo redundante com o mal que irá lhe acontecer e quero que ele sofra mais tempo do que precise para solucionar a sua dívida e isso poderá o deixar ainda do mesmo lado que se encontra hoje, o oposto a você e assim teremos novo confronto no futuro, mais brando, mas furioso, nem imagino, mas com toda a certeza o confronto.

AS LEIS DIVINAS SERVEM PARA NOS CORRIGIR E MOSTRAR O CAMINHO PARA A NOSSA EVOLUÇÃO E A UNIÃO DE TODOS OS FILHOS DELE, DEPENDE APENAS DE NÓS INTERPRETARMOS CORRETAMENTE A SUA VONTADE COMPREENDENDO AS LEIS QUE REGEM O UNIVERSO.

Que Deus nos ampare e nos dê a inteligência para reconhecer onde e como mudar.  

sábado, 20 de abril de 2019

AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS “COISAS” E AMAR SEU PRÓXIMO COMO A SI MESMO.





Esse na verdade é o único mandamento ou lei que Jesus propaga, se posso dizer ser uma lei, mas que parece mais um pedido.

Vamos voltar a nosso passado. O homem é um animal, que superou os atributos físicos de força e habilidade pela inteligência. Para que o homem pudesse aprender a usar o novo atributo, o cérebro, ele tira todo poder físico dele, e aí está uma das maiores provas da existência de Deus, para que ele com a dificuldade pela falta de força ele passasse a encontrar uma forma de resolver a situação que lhe fora imposta, pelo meio ambiente, e assim, começar a usar o cérebro e poder atingir seu objetivo, que no momento, era mais uma ânsia que uma vontade. Onde a perseverança era uma teimosia e onde ele precisava usar toda a sua raiva, que poderia traduzir pelo politicamente correto, determinação, para superar o obstáculo.

Eu tenho a visão estranha, para alguns, de nós termos evoluído dos animais, não apenas a nossa máquina química, mas nosso espírito. Muita gente não gostaria de ter sido uma barata, mas como barata eu não tinha consciência de que estava andando no esgoto junto a um monte de bactérias, mas se pensarmos que somos muito mais velhos que a civilização, que temos hoje, quando fomos baratas, estávamos na mata comendo restos, provavelmente limpando a Terra e sendo muito importante para a saúde dos outros animais.

Vou expor a minha ideia de porque isso seria sensato. Veja hoje nós sofremos e pela nossa teimosia devemos passar pela provação e EXPERIMENTAR, como vencer a situação vivenciando. Veja que muita da filosofia oriental se baseia na observação dos animais para se desenvolverem técnicas de lutas e de compreender a natureza e a realidade divina dentro da Terra, o que na nossa visão ocidental se fala mais de um paraíso, quer dizer de uma utopia e não de uma forma de atingir a utopia. A Oriental nos dá os meios de atingir o paraíso, e nós damos a eles o objetivo de toda a sua técnica.

Voltando aos animais, cada um dos animais que existem na Terra além de terem uma função junto ao todo, eles possuem habilidades únicas e desta forma, habilidades que lhe propicia atividades muito difíceis do homem reproduzir, mas que pela observação e pela vivência que tivemos naquela espécie, vamos tornando CONSCIENTE, a forma de como reproduzir isso. Pensem em um beija-flor, ele pára no ar, não sei se o princípio do helicóptero é o mesmo do pássaro, mas com certeza, quem fez o helicóptero, percebeu que se poderia parar no ar, já que o pássaro conseguia. Ele talvez tenha sido um beija-flor, mas isso não quer dizer que obrigatoriamente ele tenha passado por toda a cadeia de espécies que existiu ou existe na Terra, mas até que esse “proto” espírito pudesse fixar as habilidades dos animais que ele estava vivendo serem incorporada ao seu cabedal de conhecimento.

Agora a parte lógica do aprendizado. Eu não sei andar de bicicleta, nunca quis aprender, pois eu teria que usar a bicicleta dos outros para aprender e obviamente eu iria cair e assim marcar ou quebrar a bicicleta, como eu não tinha a minha eu não arriscava prejudicar os outros. Uma coisa é certa, esse equilíbrio de andar em duas rodas vem de alguma habilidade animal, e isso não quer dizer que eu não tenha vivido essa experiência no animal, mas eu suprimi a minha liberdade de praticar algo que seria, talvez, importante que eu fizesse, mas por covardia ou realmente recato eu não fiz. Então eu tenho um filho arteiro que monta bicicletas, pois na época não podia lhe comprar uma e ele me aparece no bairro em que morávamos dando um cavalo de pau na esquina e falando: Olha Pai! Com isso definimos que covardia não é uma questão genética. A mãe também não tinha e não tem essa habilidade. Isso é próprio do espírito.

Vamos falar um pouco disso. Da coragem de se arriscar. Quando a sociedade é montada ela segue parâmetros que deram certo ou que se viu como viável para que se pudesse ter alguma harmonia para podermos viver em sociedade. Assim se CONDICIONOU, determinadas atitudes que limitam aquilo que podemos ou não fazer. Isso são regras e não efetivamente necessidade. Vou dar um exemplo político que nos ajuda a pensar e realmente é o que determina a cultura de uma nação ou uma cidade.

Hoje estamos com uma questão no Supremo, onde querem por questões econômicas dos advogados, que prisão só deve ocorrer em 3ª instância e não na 2ª, mas que no mundo todos são presos na 1ª. Veja que um corrupto continua roubando ou tendo contatos que o possibilite ser apenas ponte para ter meios de facilitar o roubo. Assim sendo cristão colocá-lo incomunicável na 2ª instância é um meio de limitar o seu roubo e que não se corre o risco de o processo caducar e ele nunca ser coibido a não roubar e ficar por todo esse tempo roubando descaradamente. Isso mostra que regras devem ser mudadas, pelo amadurecimento da sociedade.

Quando uma criança é arteira ela está se libertando dos seus condicionamentos, querendo dar liberdade à sua criatividade e se permitir errar para aprender e assim não se auto condicionar sobre o certo e o errado. Assim o único meio de fazer com que ele compreenda o erro naquilo que está fazendo é pela conversa. Veja essa conversa visa apenas explicar onde está o erro e o pai deve ter inteligência suficiente, não só para dar razão se o filho tiver essa premissa, mas mostrar a ele que há consequências pelas suas ações que elas retornam para lhe cobrar o erro. Essa foi a forma que Deus encontrou para fazer seu filho compreender o erro e não de puni-lo, mas alertá-lo. Ele só é punido quando ele se torna teimoso, vulgarmente conhecido como orgulhoso de errar.

Aqui está um arcabouço do que é a vida ou de nossa formação ou nosso desenvolvimento e evolução. Notem que quando estamos logo no início da vida desenvolvemos todos os sintomas daquilo que a religiosidade recrimina. Mas eu teria condições de ser diferente???? Se a teoria de que por observação dos animais eu aprenderia a todas as suas habilidades e assim nos tornarmos homens, eu não precisaria encarnar para aprender e assim vivenciar a dificuldade e a dor, seria apenas ficar observando os anjos e seriamos iguais a eles. Creio que Deus não quis nos tornar um robô, pois nos daria uma programação limitada, a ações especificas, e assim não cometeríamos erros, mas ele preferiu nos dar ao mundo material para que nós fossemos pela lógica construindo a nossa programação e assim atingirmos a felicidade que é o caminho final dos instintos ou o programa básico que ele nos deu.

Explicando o instinto que me referi e que Moisés fala em pecado original. O instinto animal ou humano segue uma linha natural. A sobrevivência que se alterna entre conseguir comida e se defender de forma efetiva de evitar que se torne alimento de outros. Isso nos dá o conhecimento de nossa força, necessidade e como lidar pelos meios que dispomos de continuarmos vivos.

Para nos perpetuarmos temos o instinto sexual como forma de manter a espécie sempre ativa dentro da natureza. Isso leva a poder, conquista e a parte mais sublime que é o amor pela cria e assim começamos a amar, e a convivência nos faz amar o parceiro ou parceira. Isso nos une.

Qual seria a sintonia que de que a fome é saciada? A felicidade de estar com a barriga cheia. Veja chegamos a felicidade como uma finalização de que estamos certos em comer e assim aprendemos que quando estamos felizes, fizemos alguma coisa certa, sabendo ou não o que fizemos. Então esse é o resumo da nossa vida, atingir a felicidade, mas a felicidade é algo a ser conquistada e não adquirida. Por isso o dinheiro não compra a felicidade, mas pode dar a felicidade efêmera. Que não é o tema aqui.

Assim eu tenho 3 diretrizes básicas sobre a vida, os instintos de sobrevivência, sexual e a felicidade. Eu havia colocado o livre arbítrio como o terceiro e a felicidade o quarto. Mas realmente eu vi que ele se desenvolve depois, como a vontade. Mas são produtos do instinto básico. Veja que ao optar como troglodita de comer uma maçã ou um pedaço de carne, eu uso o livre arbítrio, e ao mesmo tempo à vontade para poder definir, já que eu não posso saber nesse momento da minha existência, que a carne tem proteína que é importante ou que a fruta vai me dar energia, adoçar a boca e ainda tem vitaminas para me fazer funcionar. Assim eu vou pelo desejo, e desejo é vontade e veja como o instinto sexual está unido ao de sobrevivência. Esse conjunto é o que desenvolve toda a nossa capacidade atual. O sexo e vida. Não é uma referência ao livro. Essas múltiplas combinações é que nos formam a complexidade da mente do ser humano.

Agora alguns falam que o livre arbítrio é um atributo do homem, mas seus resquícios estão dentro dos animais. Eu tenho uma cadela e eu adoro dar comida a ela quando estou comendo e sim eu a habituei mal com isso. Mas é um prazer meu, e a cara de pidona dela me quebra qualquer resistência e ela sabe que eu lhe dou comida, é só ela ouvir a geladeira bater ela aparece para ver o que eu tenho na mão. Se ela vê pedaço da algo na minha mão ela fica por perto, caso seja garrafa, ou líquido, ela desconversa. Quando ela era pequena ela comia banana, eu pareço macaco de tanta banana que como. Assim eu dava pedaços para ela. De repente ela passou a rejeitar, como o talo duro do abacaxi. Ela preferia o talo. Ai que ela parou deixei de oferecer. Um belo dia vi a cara de pidona nela e ofereci a banana, ela comeu e esperou por mais. Normalmente ela não fazia isso. Comecei a dar duas vezes pedaços da mesma banana. De repente ela não quer, de repente ela quer. Veja que ela decide, se por instinto ato automático do equilíbrio químico do corpo dela ou da sua vontade, vai ser difícil de saber, mas com toda certeza isso faz parte do resquício do livre arbítrio que vamos desenvolver com mais acuidade no futuro. Quimicamente eu não sou um reflexo dos animais, isso é não há uma segurança de que uma reação química que eu consiga encontrar em um animal seja a mesma que a minha como ser humano, mas na parte de instintos e desenvolvimentos, somos sim muito correlatos. E por mais que se deseje desprezar os animais pela ignorância, eles são a nossa matriz espiritual ou “proto” espiritual.

Esta é a minha visão, isso não quer dizer que estou correto, muito menos que estou errado, muito menos que isso seja uma lei, mas que é a forma que eu penso pela lógica, e por uma fala de Galileu Galilei no livro da Genesis, pois essa foi a forma que eu interpretei. Ali ele não afirma que somos um produto da animalidade. A frase fica toda cheia de dedos, pois ele estava falando com a sociedade de 1867 e não com a atual. Se até hoje tem gente que não aceita as leis Darwinianas, imagine o choque de saber que foi uma barata. Assim o que estou dizendo sobre isso é que vocês devem e têm por dever tomar uma decisão sobre o assunto. Se ser um animal como uma barata te parece muito nojento, não aceitem a minha alternativa, mas se lhe agrada ter sido uma barata e achou que a lógica tem coerência, por favor sejam honestos com vocês e aceitem, mas isso merece REFLEXÃO E NUNCA ACEITAÇÃO. Esse é o seu livre arbítrio que deve falar mais alto a você.



Veja que beleza, se todos nós pensarmos iguais seremos robôs teleguiados e assim passiveis de sermos manobrados. A pergunta é: Para quem é interessante sermos robôs teleguiados? Para quem nos governa ou chefia.

Assim vamos voltar ao passado novamente. Moisés ao ter o dever de transformar um monte de escravos em uma nação ele tinha que dar dignidade a esse pessoal. Assim ele cria uma dinastia e lhe dá leis que lhe permite organizar a nação com a procura do paraíso terrestre. Assim ele monta uma forma de conduta e isso não é errado naquele momento, mas o povo pela sua ignorância cria o hábito de que apenas aparentar é o suficiente e o necessário. E assim ele aprende a esconder seu mal feito e a demonstrar a sua dedicação a Deus em público. Realmente acho que seria muito difícil para aquele povo naquela época pensar diferente disso, e veja que Sócrates aparece na Grécia 600 anos depois e seria como se nada tivesse acontecido, até a chegada de Jesus.

Mas com Moisés acontece a mesma coisa, só que o esquecido é um faraó, Akenaton, que define um Deus único Aton, pelo seu reinado ter sido muito curto, só 16 anos, e ia contra uma cultura milenar de vários deuses, o que tirou emprego de muito sacerdote. Com a sua morte, os sacerdotes destroem a sua cidade em homenagem a Deus ou Aton e voltam a velha pratica religiosa. Isso 100 anos antes de Moisés, se levarmos em consideração que Moisés viveu a 1200 anos antes de Cristo. O Salmo 104 foi encontrado na tumba de Akenaton. Sócrates e Akenaton são os precursores do Deus único e das suas leis, que não é ríspida como versa o nosso código penal ou civil.

A Igreja se coloca nessa posição de uma religiosidade de regras. Veja que o Império Romano é uma vasta extensão que deve ser vigiada para não ser invadida ou tomada do poder central, isso demanda dinheiro e mercenários que na verdade não tem muito de idealismo com o Império, mas de sobreviver matando, que é uma enorme ironia. Assim os custos cada vez pela dificuldade que aumentava constantemente pelos ataques dos famosos godos, o Império se via com um gasto que em algum momento não poderia mais arcar e nenhum de seus imperadores sabia como resolver a questão até Constantino.

Todos os imperadores romanos foram pessoas inteligentes, poderiam ser loucas, mas com toda a certeza eram inteligentes. Assim Constantino percebe uma força nova na religião cristã. E assim ele sonha que viu uma cruz que o levaria a vitória a uma batalha. Primeiro Jesus nunca daria uma vitória sangrenta a um imperador dizendo que ele estava correto. Mesmo os seres iluminados usam os espíritos mais baixos para realizar as necessidades de evolução mundial, ou simplesmente não permitem que evitar que o mal aconteça, pois ele será um bem.

O cristianismo na época estava sofrendo uma invasão de charlatães se dizendo cristo, como os Judeus não havia aceitado Jesus, eles deixaram a porta aberta para surgir o messias no mundo. E havia uma necessidade de preservação da cultura cristã, assim se juntou a fome e a vontade de comer. A necessidade de preservar a filosofia cristã junto com a necessidade de o Império sobreviver. Então, Constantino elege o sacrifício e não a paz do peixe, como símbolo da sua nova religião e ele é o primeiro a mesclar a religião cristã a uma religião primitiva, a mitologia romana, isso não foi privilégio das religiões africanas na América Latina, isso as conduzem a uma evolução e a um rebaixamento do cristianismo, mas necessário.

Isso em política se chama neocolonialismo e pela característica da sua formação a lei rígida e o pecado como a forma de escravizar a população da Europa. Seguir regras. Com isso tivemos o fim das matanças nas arenas romanas o que já foi um grande trunfo da nova religião, mas assim também surgem outras atividades de jogos e assim a variedade de esportes que temos hoje. Uma tentativa de substituir a agressividade humana que nasceu com o troglodita dando porrada na árvore para derrubá-la e machucar a sua mão. Pois o galhinho que estava na frente dele antes, ele tirou com um sopro da sua raiz, mas a árvore ele precisava algo mais que um sopro para removê-la, e assim acabou descobrindo a pedra. Mas ele antes teve que contorná-la, isso mostra a humildade, e a determinação, a vitória. E assim a felicidade premia a agressividade como forma de vencer obstáculos.

Com isso tudo exposto, podemos agora chegar à frase do título. Amará a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a si mesmo.

O homem nas condições de seu nascedouro na Terra, não tinha a menor condição de entender a frase. Na verdade, nem mesmo no tempo de Jesus só privilegiados tinham essa capacidade, e eram muito poucos. Assim agora no século XXI temos alguma capacidade de compreendê-la, mas ainda não de agir por ela plenamente.

Vou colocar dois fatos ou informações, uma da Bíblia e outo da História. Veja a adultera na Bíblia. Ela não foi apedrejada, e Jesus também não a pune, pois Jesus não veio para punir, mas para ensinar a amar. E quando ela se afasta ele diz a ela: Não peques mais.

Vamos pensar nela. Na sociedade daquela época uma mulher precisava de uma família para poder sobreviver, pois ela não podia trabalhar. Sem isso, se ela fosse solitária, digamos uma órfã, ela teria que ser amparada por alguém ou alguma família que a pudesse sustentar, ou apenas morreria abandonada. Como deve ter acontecido. Mas se ela era amparada ela teria um futuro. Suponhamos que ela tenha realmente ido para cama de outro homem. Assim ela deveria morrer apedrejada, pois ela não teria como sobreviver, já que todos a abandonaram. Vejam como a lei de Moisés é sábia e faz com que o trauma do apedrejamento faça com que ele evite o deslize na próxima vida. Um dos meios que ela teria para sobreviver seria pela prostituição, não haveria outro. Mas vamos pensar mais um pouquinho. E se ela se arrependesse e fosse pedir perdão ao marido ou a família e pedir abrigo? E se eles por orgulho e vaidade, como ainda acontece hoje, a enxotassem de casa? Ela obrigatoriamente estaria ou teria sido jogada para a prostituição. Como não pecar mais? Não há como. Pois se se entregasse à condição social que a comunidade a jogou ela apenas poderia se suicidar, já que Jesus evitou que ela morresse. Assim vejo que seria melhor ela se prostituir para pecar menos e não se suicidar, pois o crime seria de covardia.

Jesus sabe de tudo isso? Sim. Mas a responsabilidade da sua vida é dela e vai purgar as consequências de seus atos. E ela será punida no umbral por isso? Talvez. Pois dependera totalmente de como ela usou esse meio de sobreviver aprendendo com ele, odiando ele ou apenas se satisfazendo com ele. Assim como eu posso punir uma mulher que foi levada a isso por um erro bobo de ter traído o seu marido e foi pega? Eu não tenho como julgá-la. Pois pela fria exposição da letra da lei eu teria que condená-la. Assim o que se sente é o que vale e não o ato em si. Isso é a intensão, e por mais que a intensão tem muita gente no inferno, isso se torna relativo para cada um de nós, pois somos nós que promovemos o nosso inferno. Se ela tinha se arrependido, ela seria amparada, mas isso não a privaria de ser traída em uma vida futura e aí sim as suas ações seriam levadas em conta, pois ela seria a vítima e assim poderia se tornar um algoz como o seu marido foi. Se ela tirou prazer disso, ela iria ficar no Umbral continuando com o prazer efêmero que tanto ela precisaria e assim se tornaria um sucubus ou incubus que a igreja católica tanto adora. Mas seria mais um espírito infeliz e se ela odiasse aquilo que fez. Ela continuaria no umbral ou nas trevas deprimida e se odiando por não ter conseguido sair daquela situação. Veja que isso pode estar correto ou não no sentido da pena imposta, mas é apenas uma ilustração.

Agora vamos ao fato histórico. Na 2ª Guerra mundial, depois da derrota da Alemanha, havia o Japão a ser derrotado e basicamente isso estava nas mãos dos Estados Unidos. Mas havia um problema maior chamado URSS. Já que Stalin não tinha mais que combater a Alemanha ele poderia deslocar parte das suas tropas para o pacífico e auxiliar os americanos a acabar com o Japão. Mas obviamente eles iriam querer uma parte da conquista. Assim Truman tem que tomar uma decisão estratégica. Soltar ou não uma bomba atômica sobre o Japão e acabar com a guerra ou permitir que mais soldados americanos morressem e perder parte da hegemonia política da supremacia mundial a dividindo com a URSS.

Veja que ele jogou duas bombas sobre o Japão. Obviamente Tojo, o general japonês cometeu um enorme erro não se rendendo após a primeira bomba, mas como analisar, Truman? Ele foi correto fazendo isso? Até que ponto o URSS iria dificultar a evolução do Japão? Como esse desequilíbrio de forças poderia se dar junto ao mundo? Se Truman não tivesse jogado a bomba sobre o Japão como estaríamos hoje? Veja que isso pode ser bom ou ruim, não dá para saber, mas se Deus permitiu foi de alguma forma bom, pois o contrário seria pior. Talvez a URSS não tivesse entrado em falência financeira e assim continuaria a escravizar seu povo, apesar da característica básica do povo russo ser essa, já que a Rússia e a Mãe Rússia.

O Japão cresceu pela disciplina e a objetividade do interesse em conquistar mercado que já existia na 2ª guerra mundial pelo país, mas usaram o capitalismo e quase venceram os pais dele, o EUA.

Agora vamos pensar no homem Truman. Qual foi realmente o interesse dele ao tomar a decisão. Como já disse ela foi boa, pois Deus permitiu. Assim sobra o homem como meio disso ter ocorrido e como ele seria julgado, por si. Não vejo Deus nos julgando ou São Pedro, mas nós mesmos pela frequência que mantemos em nós e pelo grau de materialismo que mantemos. Se não formos ajudados por espíritos mais puros nunca conseguiremos encontrar paz após a morte. Sim nós vamos no julgar, pois só nós podemos fazer isso por nós. Pois sabemos o motivo real que nos fez agirmos daquela forma e como temos uma frequência de pensamento que nos leva ao devido lugar no espaço, por mais que possamos imitar a bondade ou a doçura, sempre seremos colocados nos nossos devidos lugares na criação. Compreenda que estaremos em uma esfera diferente da terrena onde esse mar de tranquilidade vai nos propiciar a dor que precisamos para compreendermos os nossos erros, assim ocorre o julgamento, somos obrigados a olhar a nossa dor e resolvê-la. Voltando a Truman. Ele decidiu como? Pelo poder? Pelo poder e pelos americanos mortos? Como alguns disseram ele não foi muito claro no ultimato ao Japão que não acredito, já que Tojo mesmo vendo o estrago não se entregou. Eu não poderia crucificar o Truman, e nem absolvê-lo. Pois estou aquém da capacidade de um juiz de ter todo o conhecimento daquilo que o levou a fazer exatamente o que fez. Obvio que por mais honesto e pensando em muita gente que morreria na continuidade da guerra, ele terá que gerar algo bom para compensar todas as vidas que forma tiradas no bombardeio e na guerra. Mas será algo dosado para tanto. Como? Não saberia dizer, mas tenho a noção que ele pagará pelas vidas que tirou. Não importando se foi bom ou ruim, mas isso o fará dosar a crise ou a dificuldade ou o bem que terá que fazer para compensar a matança.

Por isso a frase: Amará teu Deus de todo o seu coração e ao próximo como a si mesmo é muito inteligente e sintetiza realmente toda a filosofia cristã e a realidade das leis do amor que Deus expos ao Universo.

Para se tomar as decisões que nesses dois aspectos eu coloquei como sendo uma decisão que se tem que tomar e ficar refém dessa decisão, a resposta correta está exatamente na frase acima. Se eu amar o próximo como a mim mesmo a chance do meu erro será muito menor, ou suas consequências, mas continuará sendo um erro, pois ainda vou errar pelas decisões que existem a serem tomadas pela evolução do mundo, mas que poderei ressarcir do meu passado no futuro e dependerá muita da minha intensão com o fato, para que minha colheita seja muito drástica ou muito suave. Ou mais fácil para achar a solução.

Veja que Tojo o general Japonês ao aprovar a existência dos Kamikazes ele mostra muito bem a sua dureza e intensão de vencer a qualquer preço e assim mesmo que Truman tivesse tomado a decisão de avisar e mostrar o filme da explosão experimental que fizeram da bomba, ele não teria sido dissuadido a se render. Como se diria quando o homem atingiu a Lua:
- Foi coisa de Hollywood!
Assim Tojo terá uma vida futura muito mais dura que Truman, pelo mesmo motivo, a bomba atômica.

Ele poderia ter aceito a rendição sem a necessidade de que se soltasse a bomba, mas ele preferiu arriscar e assim a sua pena ou sua dor será muito maior.

O que coloquei aqui é a dificuldade de dizer que isso é certo e isso é errado. Isso não existe, como não existe o mal, pois é o homem que o provoca e nunca Deus. Pô, mas, e os terremotos? Veja que os terremotos acontecem com alguma programação que nós não sabemos, assim muita gente que vive ou viveu nessas áreas nunca sofreram um abalo e outras morreram por estarem lá, como pessoas que perdem aviões que caem ou como a queda do avião em Orly, todos morreram menos o piloto. Sempre pagamos as nossas dívidas e essas pessoas são colocadas em aviões ou em áreas de terremoto para justamente liquidarem dívidas e assim se sentirem mais livres e felizes do mal que um dia praticaram, pois carregamos em espírito todas essas amarras que cometemos e as que são conscientes, demonstram que estamos aptos a liquidá-las e assim nos tornarmos mais luminosos seja pela dificuldade ou pelo amor que podemos doar aos nossos algozes.



Assim o que devemos desenvolver é o sentimento de amor, nos colocando no lugar do outro e entendendo ou tentando entender a realidade dele para entender como está agindo e isso é amar o próximo e assim não o julgarmos pelo meio que encontrou na vida para sobreviver, mas como podemos ajudá-lo a encontrar um meio de ser mais feliz e aceitar a sua provação, já que todos nós temos o que purgar na vida terrena.

E o difícil para mim ao menos é como desenvolver esse sentimento, como é que o liga dentro de mim, como o faz brilhar. Essa é a minha dúvida ou ainda minha falta de evolução que não me permite ver como ser mais caridoso com os outros, além de mim mesmo. Lembrem-se nossa missão é apenas conosco, mas isso implica a interação com os outros e assim eles passam a fazer parte da nossa missão pessoal. Por isso o autoconhecimento de si e a coragem de se enfrentar, não de lutar contra si, mas aceitando seus limites é que vamos conquistando o amor por nós mesmos e assim podermos dar aos outros o que temos de melhor em nós.

Agora uma conclusão. Veja que para amara a humanidade e assim amar da Deus é uma coisa difícil de se conseguir, aparentar isso é uma coisa, mas realmente amar é outra. E assim eu quebrei a cabeça para entender como fazer isso, pois é uma conquista e não quer dizer que consegui, mas pelo que tudo aparenta é confiar em Deus isso é ter Fé em Deus e sentir, veja estou falando sentir que o mal e o bem que me acontecer está programado para o melhor caminho que eu possa ter para mim, e eu ainda estou lutando com o meu instinto de sobrevivência para incorporar essa minha visão ao meu espírito, pois ela está na minha cabeça, mas não no meu coração, quando ela estiver no meu coração terei muita chance de ser um cristão.

Só um adendo: Sócrates falada da retórica. O que vem a ser a retórica? Na verdade, é uma técnica de venda, onde eu encaminho toda a minha lógica para fatos que dizem respeito a apreciação ode um fato sendo ele bom ou ruim, não importa, o que importa é o objetivo, e assim convenço o outro que estou correto e ele compra a ideia. Mas como tudo na vida tem dois lados o lado bom é contrabalanceado pelo lado ruim da coisa. Que não é falado quando estamos vendendo uma ideia. Assim uma máquina de lavar é uma boa para a dona de casa, mas o trabalho de esfregar as manchas que é o mais cansativo e mais enérgico, ela tem que continuar fazendo, mas ninguém te fala, quando você compra a sua primeira máquina de lavar, você descobre com o uso.

Assim, é por isso que vocês devem pensar em tudo que expus e analisar com o seu crivo de justiça e honestidade, o que é bom e o que é ruim e como posso melhorar tudo que está aí, se é que tem algo bom para ser usado. Se eu não aceitar a minha responsabilidade de viver e preferir seguir regras, onde tudo tem um lado certo e outro errado, demonstra muito bem que Igreja católica e o povo Judeu precisavam dessa alternativa para cometer menos erros, e você se iguala a eles.